Hospital Icaraí

Pai de primeira viagem: antes, durante e após o parto

Pai de primeira viagem: antes, durante e após o parto

Conheça dicas de como lidar com o importante papel de pai antes, durante e após o parto do seu bebê 

Ser pai é um privilégio, sim. Ter a oportunidade de gerar uma vida com a consciência do que está criando é um grande presente da natureza humana. Mas tornar-se pai não é fácil. É uma tarefa longa que começa bem antes do bebê chegar, quando ele ainda está ali na barriga da mãe. 

Para os pais de primeira viagem, é comum pensar que a paternidade só começa com o nascimento do bebê. Mas é porque não sabem que o pai tem um papel vital para uma gestação saudável. Em homenagem ao Dia dos Pais, neste blog post, o Hospital Icaraí apresenta dicas para o pai de primeira viagem de como apoiar sua parceira antes, durante e após o parto. 

O pai presente na gestação

A gravidez é vivida de formas diferentes pelos dois: a mãe, por passar por mudanças hormonais, físicas e emocionais, assim como com a expectativa de estar gerando uma criança, e o pai, por não saber muito bem como encarar todas essas modificações neste período tão importante e delicado para o casal.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a gestação não é só trabalho para a mãe. É claro que o bebê está diretamente ligado à mamãe nesse período, mas o pai desempenha um papel muito importante neste processo. E é comum que os papais de primeira viagem sintam certo nervosismo por não saberem se comportar durante ele, afinal, a paternidade é uma provação – muito prazerosa, mas ainda assim uma provação.

A presença do pai na gestação e na criação do bebê tem sido cada vez mais comum, e isso é ótimo, porque ajuda a estabelecer vínculos afetivos entre pai e filho e proporcionar um desenvolvimento mais saudável para a criança. É por isso que, quando o bebê ainda está na barriga da mãe, é importante que o pai esteja preparado para ser um parceiro ativo. Dessa forma, invista em uma boa relação com o seu filho, mesmo que ele ainda não perceba isso. Converse com ele e faça carinho na barriga da mãe. Isso fará toda a diferença no desenvolvimento do bebê no futuro. 

É importante também lembrar que, nesse período, a movimentação da mulher vai ficando cada vez mais limitada e tarefas simples cada vez mais difíceis à medida que a barriga cresce. A função do pai, então, é auxiliar a mamãe, dando todo o apoio que ela precisa para enfrentar a gestação, seja assumindo as tarefas de casa e resolvendo outras questões que exijam o esforço dela.   

A hora chegou!

Quando o momento do parto chega, toda aquela expectativa acumulada transborda. Medo e ansiedade são dois sentimentos normais tanto para o pai quanto para mãe. É por isso que é importante que o pai fique atento em transmitir o máximo de segurança possível para a sua parceira, mesmo que ele mesmo não esteja se sentindo tão seguro assim. 

Cada mulher reage ao trabalho de parto de uma forma. Não há um guia de como prosseguir, no entanto, focar em controlar as emoções na medida do possível é sempre recomendado para o pai. Para ajudar a manter a calma no dia, o casal pode já deixar tudo preparado com antecedência: enxoval do bebê e da mamãe para a maternidade, documentos e exames necessários para o parto. Mesmo que o trabalho de parto seja uma surpresa, é bom deixar todas essas coisas à mão.  

Se o papai quiser cortar o cordão umbilical e/ou dar o primeiro banho bebê, é sempre bom decidir previamente com o médico ou a médica que fará o parto, caso contrário, pode ser que uma interferência inesperada atrapalhe a equipe médica.

O bebê nasceu: e agora?

Essa é a hora dos papais brilharem! É a partir do nascimento do bebê que o papel de pai começa a receber mais destaque. Seguindo a ajuda nas tarefas cotidianas do pré-parto, agora o auxílio do homem passa a ser ainda mais essencial no cuidado com o bebê, principalmente durante os primeiros meses.

Logo que o bebê nasce, a mãe entra em um período chamado puerpério, que é quando o corpo começa a retornar ao normal, fazendo com que a mulher passe por diversas mudanças físicas e emocionais. O apoio do parceiro, então, se torna vital. 

Depois dos primeiros contatos com os cuidados do bebê, como trocar fraldas, alimentar, dar banho, entre outros, o pai precisará estar disposto também a colocá-los em prática a qualquer hora do dia, inclusive à noite. Por mais que você tenha trabalhado o dia todo ou que precise acordar cedo na manhã seguinte, faz parte do papel de pai ter que assumir esses desafios. Sua parceira também estará emocional e fisicamente esgotada durante a recuperação pós-parto.

Pode parecer difícil, e é, mas a paternidade é um presente e merece ser vivida ao todo. Estar presente e ativo durante a gestação e durante o cuidado do bebê é, mais do que uma forma de ajudar sua parceira, o melhor caminho para se aproximar do seu filho e gerar um laço para toda a vida. O Hospital Icaraí dedica esse espaço para agradecer a todos os pais o cuidado, o amor e a coragem de assumir a missão da paternidade. O HI deseja a todos esses heróis um feliz Dia dos Pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *